Arquivos da categoria: Brinquedos Sexuais

EUA aprovam comercialização do “viagra feminino”

Os sexólogos garantem: nós, mulheres, podemos muito bem experimentar o êxtase total durante o sono ou, no mínimo, chegar tão perto dele a ponto de acordar no meio da noite morrendo de desejo. Diferentemente dos conhecidos “sonhos molhados” dos homens, que costumam ejacular durante o sono, no nosso caso os lençóis não servem como evidência. Mas os estudos na área da sexologia não deixam dúvidas: somos capazes de ter um orgasmo igual ou até mais intenso do que aquele que experimentamos quando estamos de olhos bem abertos. Como é possível? Enquanto você dorme, seu cérebro não para de trabalhar. Ele se ocupa de manter o coração batendo e a produção contínua dos hormônios, monitorar movimentos e reflexos de diferentes partes do corpo, entre outras tarefas vitais.

A cada 90 minutos, entramos numa fase de sono profundo que os especialistas chamam de estágio REM ou movimento rápido dos olhos). Esse deslocamento é a senha de que estamos mergulhadas no universo dos sonhos, quando as projeções imaginárias do inconsciente tornam-se mais vívidas, parecendo reais. Também durante o sono REM, o cérebro determina que um maior fluxo de sangue percorra os órgãos sexuais, inclusive o útero, provocando espasmos e contrações involuntárias. Além disso, o aumento da pressão sanguínea faz com que o clitóris fique intumescido, exatamente como acontece quando nos excitamos em várias mulheres, isso tudo desencadeia o orgasmo. É bom? Bárbaro, só para dizer o mínimo. Segundo os sexólogos, o orgasmo noturno é conhecido por ser particularmente intenso. Em parte, porque durante o sono nosso corpo entra em profundo estado de relaxamento. Além disso, a intensidade do prazer aumenta graças a uma espécie de “garantia de privacidade”.

“As censuras adquiridas ao longo da vida interferem com menos intensidade durante o sono, deixando-nos entregues ao próprio devaneio”, explica a carioca Sandra Baptista, psicóloga e sexóloga do Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação (IBMR). Outro ponto que torna esses orgasmos tão profundos é que as fantasias criadas pelo cérebro podem incluir condutas que jamais realizaríamos acordadas: por exemplo, práticas exibicionistas, sexo grupal ou até uma transa com alguém do mesmo sexo. Em resumo, tudo é permitido, inclusive explorar certas possibilidades sem nos preocupar com as consequências. Que tal? É saudável? Pode apostar que sim.

Além de produzir uma lubrificação intensa e de manter seus órgãos sexuais azeitados, o orgasmo involuntário ajuda a aliviar a tensão. “Ele pode acontecer quando desejamos muito alguém e, por alguma razão, essa pessoa não está acessível. Ou, então, quando sentimos uma grande excitação e vamos dormir com essa energia represada”, diz Sandra. Bônus extra para as mulheres que dormem acompanhadas: seu homem pode adorar a ideia de ser despertado por uma namorada incendiada pelo desejo. “Um dos aspectos característicos dos sonhos sexuais é a rapidez com que eles levam uma pessoa ao orgasmo”, afirma Sandra. “Embora um homem ou uma mulher possam ser lentos para atingir o clímax acordados, durante o sono ocorre justamente o contrário”. Segundo os especialistas, há casos em que se pode experimentar um orgasmo noturno antes mesmo de vivenciar esse prazer estando desperto. No que é diferente do prazer noturno dele? A ejaculação noturna é quase um reflexo. Ela tende a ser consequência de não ter ocorrido a descarga regular, especialmente se o homem não recorreu à masturbação.

Funciona como uma válvula de escape para aquele esperma que vem sendo produzido e permanece guardado. Orgasmos femininos, por outro lado, pedem uma fantasia caprichada mesmo durante o sono. Ou seja: sem um enredo sensual e erótico, uma mulher não conseguirá ter um orgasmo, exatamente como acontece acordada. Como chegar lá? Alguns especialistas acreditam ser possível induzir qualquer tipo de sonho antes de ir para a cama. Eles sugerem a você ler alguma coisa sexy minutos antes de dormir, assistir a um filme carregado de Videos porno

Como convencer a parceira a fazer sexo com luzes acesas

É normal sabermos da separação de casais que estavam juntos há anos e que se davam muito bem. Esta situação pode ser motivada por companheiros que enjoaram da companhia do outro e não querem mais conviver com aquela pessoa. Como fazer para o parceiro(a) não enjoar de você?

O momento da paixão Quando começamos a namorar, todos os seres humanos só veem qualidades em seus parceiros. Mesmo sabendo que não somos perfeitos, é difícil dizer o que não se gosta no namorado. Isto é sinônimo de paixão e costuma durar em torno de dois anos. Mas, quando acaba, ela dá lugar ao amor, um sentimento mais duradouro, que é comum gerar casamento e relacionamentos estáveis. Nesta época, se realmente se está apaixonado, é difícil o parceiro enjoar de você.

O momento do amor Quando o casal passa a viver sob o mesmo teto, é criada uma rotina: ir ao trabalho, limpar a casa, fazer compras, pagar contas, enfim, mal sobra tempo para relaxarem, namorarem e curtirem um tempo juntos. É muito comum se dizer que a rotina é inimiga do casal e do amor, pois os parceiros caem na mesmice e vivem um dia após o outro fazendo a mesma coisa. Esta situação não é de forma alguma legal, pode gerar o fim do relacionamento por falta de amor ou o que é ainda pior, os dois podem cair no comodismo e ficarem juntos porque estão acostumados com seus companheiros. O que seria o momento do amor consolidado, da partilha da vida em comum, de desfrutar da companhia da pessoa amada, pode gerar separação e fazer o parceiro enjoar de você. Existem alternativas fáceis para que isto não aconteça, confira para Porno Brasil

Como fazer para o parceiro não enjoar de você Em primeiro lugar, não mude! Se ele casou com você, é porque ele gostava de você do jeito que você era durante o namoro. Quem gosta de alguém que se arrumava horas para encontrar o namorado e agora só o encontra de pijama, sem maquiagem ou depilação?

Se vocês tinham passatempos em comum, agora que estão morando juntos precisam manter estes hábitos. A continuação do namoro na vida de casal garante o sucesso do relacionamento. É aquela velha história: é preciso manter a chama acesa. O namoro foi uma época de descobertas, de sensações e sentimentos maravilhosos. Por que deixar isso acabar agora que vocês descobriram-se pares perfeitos? Todos temos defeitos e qualidades, mas o fundamental e aceitá-los, assim como nosso parceiro nos aceitou da maneira que somos. Agora que o casal mora juntos, não pode negligenciar da casa e das tarefas, mas, principalmente, deve zelar pelo amor, pela companhia e felicidade do outro. É importante se lembrar dos pequenos gestos, bilhetes, carinhos, atitudes etc. que farão o outro feliz. Jantar fora, ter momentos de lazer, comprar presentes, agradar o companheiro, são formas simples e incríveis de manter o amor aceso. Sejam românticos sempre que possível! Com estas dicas, tenho certeza que tudo dará certo e o parceiro não enjoará de você.

Perdida calorias numa noite de paixão

Ah, que delícia morar na mesma casa que a pessoa que a gente ama! Ver o amado todos os dias, dormir e acordar com ele, jantar e assistir TV sem hora para ir embora. Pois bem, a vida a dois nem sempre é este mar de rosas, quem a vive sabe disto. Hoje exploraremos os pequenos conflitos que todo casal que mora junto enfrenta e daremos sugestões para contorná-los. A louça Todo mundo adora comer, mas, quem lava a louça? Este é um problema em sua casa? Não podemos deixar este serviço para uma pessoa só, muito menos ser machista e colocar a responsabilidade na mulher. Como resolver a situação? Fazendo um escala de atividades: quem cozinhar naquela ocasião está livre de cuidar da louça. Assim não fica pesado pra ninguém. Organização da casa É mais do que comum a mulher trabalhar fora e chegar em casa somente à noite. Por isso, ela não pode ficar com os cuidados domésticos sozinha. São muitas atividades e para isto é necessário fazer um cronograma de atividades.

Isto é bacana para que haja um revezamento de serviços e toda a limpeza seja feita por ambos os moradores da casa. Afinal, não é justo somente um ficar com a parte mais pesada, não é mesmo? Assim, ninguém pode reclamar. Gastos Outro dos pequenos conflitos que todo casal que mora junto enfrenta são os gastos. Algumas pessoas costumam brincar dizendo que em sua casa é muito bem dividido: ele trabalha e ela gasta. Só na brincadeira mesmo, porque na realidade isto está longe de ser o ideal.

consolo

Ambos precisam colaborar com as despesas domésticas. Para resolver o conflito, a ideia é cada um colaborar com uma porcentagem igual do seu salário. Assim, resolve-se o problema de quem tem um holerite maior ou menor. Obviamente, os dois precisam arcar com todas as despesas e devem deixar um dinheiro reservado para seus custos pessoais. Programem-se para isso juntos.

Alimentação A despesa com alimentação é um dos grandes vilões do orçamento doméstico. Para que ambos possam comprar o que for preciso e também o que mais gostam e não é tão necessário, é fundamental se planejar. Que tal um deles ficar com a lista de compras em mãos enquanto o outro verifica na despensa o que precisa ser anotado? Levem este papel para o mercado e risquem o que for colocado no carrinho de compras. Antes de ir, verifiquem quem irá pagar a conta e qual o valor destinado para a alimentação.

Desta forma, vocês poderão comprar com mais rapidez e eficiência. Novela/futebol Ah, mais um dos pequenos conflitos que todo casal que mora junto enfrenta: a TV. Não é regra, mas normalmente as mulheres preferem assistir novelas quando chegam em casa e os homens gostam de ver futebol. Uma solução fácil seria cada um ter a sua televisão para assistir ao programa preferido. Contudo, o casal precisa aproveitar o máximo de tempo juntos em sua rotina, que é sempre corrida. Aqui entra um dos segredos do casamento: ceder. Combine com seu parceiro o que irão assistir naquele dia e sejam companheiros.

Que tal revezar e deixar a TV ao comando de cada um por três dias na semana? No que sobrar, vejam filmes, por exemplo. Morar junto requer cuidado, acertos e momentos em que é necessário ceder. Mas é muito compensador.